Petrobras vai reduzir o preço da gasolina em 7% e do diesel em 6%



O presidente Jair Bolsonaro informou, em suas redes sociais, que a Petrobras vai reduzir em 6% o preço do diesel e em 7,2% o preço da gasolina nas refinarias, a partir de sábado. A informação foi divulgada em sua conta oficial no Twitter, mas também consta no site oficial no qual a petroleira detalha preços praticados nos 37 pontos de suprimento do mercado brasileiro, para a gasolina, o diesel S10 e o diesel S500.

Com a notícia positiva, de amplo impacto popular, Bolsonaro busca reverter a queda de popularidade, num momento de manifestações nas ruas pela aprovação das reformas, mas também contra o seu governo, diante dos cortes na educação.

O anúncio ocorre num dia em que Bolsonaro confraternizou com caminhoneiros, durante um almoço em uma churrascaria de um posto de gasolina em Anápolis, Goiás. Há cerca de dois meses, o governo monitorava a insatisfação dos caminhoneiros, que ameaçavam uma nova paralisação diante do fim do subsídio ao preço do diesel, e do aumento dos preços do combustível.

Ao mesmo tempo, os preços da gasolina vinham subindo em ritmo acelerado. O litro da gasolina oscilava, nos últimos dias, entre R$ 4,15 e até R$ 4,50 – no Distrito Federal.

No dia 11 de abril, Bolsonaro gerou uma crise no governo ao intervir na definição do preço do combustível, ao determinar à Petrobras que suspendesse o aumento do diesel. Ele admitiu que telefonou para o presidente da estatal para ordenar a suspensão do processo: o aumento de 5,74% no diesel havia sido anunciado horas antes. O gesto colocou em xeque o discurso de governo liberal.

Com a decisão anunciada hoje, o valor médio do litro da gasolina nas refinarias passará para R$ 1,8144. Já o preço médio do diesel passará a R$ 2,1664 por litro.

A política de preços da Petrobras já passou, nos últimos anos, por uma série de mudanças, a última delas no dia 26 de março, quando a estatal anunciou que os preços do diesel passariam a ser reajustados, a partir daquela data, por períodos não inferiores a 15 dias. Com isso, a companhia abandonou, somente para o diesel, o formato usado desde 3 de julho de 2017 que previa reajustes com maior periodicidade, a qualquer tempo, inclusive diariamente.

Desde a adoção de novo formato na política de ajuste de preços em 2017, a gasolina acumula alta de 38,61% de preço, nas refinarias. Já o diesel acumula aumento de 59,59%.
Tecnologia do Blogger.