Rui Costa se manifesta sobre comentário de deputado goiano que chamou a Bahia de “lixo”


O governador Rui Costa criticou, na manhã de hoje (23), a fala do deputado federal Delegado Waldir (PSL-GO), líder do PSL na Câmara dos Deputados, que se referiu à Bahia como “lixo”, nesta quarta-feira (22). “Esse é um ambiente que vivemos desde a eleição, de beligerância, de guerra. De preconceito contra pobre, contra nordestino, contra negros, contra as mulheres”, lamentou Rui.

Em entrevista à Rádio Sociedade, o governador alfinetou o deputado goiano. “Eu recebi aqui semana retrasada o ministro de relações exteriores da Alemanha, tenho recebido de vários países, e todo mundo que vem à Bahia diz ‘governador, parabéns. Eu fui em outros estados e o ambiente é de baixo-astral, a sensação é que as coisas não mudaram no Brasil, e quando a gente vem à Bahia, a sensação é outra, de que as coisas estão acontecendo, os investimentos estão acontecendo, um alto-astral’. Então, deputado, cuida da vida, vai cuidar de ajudar a melhorar a vida do povo e deixa os baianos trabalharem, tenha mais respeito com a Bahia e com os baianos, por favor”, disse.

No Twitter, Rui Costa defendeu o estado e afirmou que a Bahia “é terra de trabalho”. “Como um deputado ofende 15 milhões de pessoas do seu povo? A Bahia é terra de trabalho. Somos um povo trabalhador e nós nos orgulhamos! Aqui andamos de cabeça erguida. Deputado, vá trabalhar. Respeite a Bahia e os baianos”, escreveu na rede social.

O caso:



Durante uma sessão da Comissão de Educação na Câmara dos Deputados, em Brasília, na tarde desta quarta-feira (22), o líder do PSL da Casa, Delegado Waldir, afirmou que a “Bahia é um lixo”.

Ele ainda completou dizendo que o lixo era governado pelo PT, se referindo ao governo estadual que é comandado por Rui Costa (PT).
Um colega precisou conter as ações do deputado goiano, que estava visivelmente alterado.
A confusão contou com a participação de membros da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) na sessão.
Aos gritos, o parlamentar ainda chama os estudantes presentes de “maconheiros”.
Parlamentares do PSL tentaram impedir que a presidente da sessão, a deputada Professora Marcivania (PCdoB-AP), questionasse o ministro da Educação, Abraham Weintraub. O titular do MEC disse que não iria falar com os estudantes. 
Tecnologia do Blogger.