Bolsonaros já sabiam de ligação de assessora com miliciano, indica Queiroz

Foto: Reprodução / SBT

O policial militar reformado Fabrício Queiroz indica, em conversa no aplicativo de mensagens WhatsApp, que integrantes da família Bolsonaro tinham conhecimento do fato de que uma das assessoras nomeadas por Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) era casada com o ex-PM Adriano Magalhães da Nóbrega, o Capitão Adriano, chefe da milícia do Rio das Pedras, o Escritório do Crime. As informações são do UOL.
O diálogo entre Queiroz e Danielle Mendonça da Costa, ex-mulher de Adriano, é citado pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) no pedido de medidas cautelares contra Flávio, Queiroz e outros alvos investigados por participarem de suposto esquema de rachadinha no gabinete do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em seus mandatos como deputado estadual. A conversa ocorre em 5 de dezembro de 2017.
As provas foram obtidas pelo MP na Operação Intocáveis, deflagrada pelo MP e pela Polícia Civil em fevereiro deste ano, quando o celular de Danielle foi apreendido.
Nas conversas, Queiroz procura Danielle e demonstra que há preocupação, por por parte do clã Bolsonaro, de que o vínculo dela com o miliciano se tornasse público. Danielle pede que ele a mantenha no emprego e Queiroz mostra-se disposto a atender o pedido.
Tecnologia do Blogger.