Sul-africana é coroada Miss Universo 2019 e discursa contra racismo

Imagem: Elijah Nouvelage / Reuters

A candidata sul-africana, Zozibini Tunzi, 26, natural da cidade de Tsolo foi eleita a Miss Universo 2019 neste último domingo (8) na cidade de Atlanta nos Estados Unidos. A jovem quebrou jejum de mais de oito anos sem que uma mulher negra levasse o título para o país de origem. Ao ser coroada, ela discursou sobre racismo e machismo.

Zozibini conseguiu superar mais de 89 concorrentes que foram selecionadas para o concurso. Ao ganhar a seleção, ela falou sobre a importância da representatividade negra. “Eu cresci em um mundo onde mulheres como eu, com a minha pele e o meu cabelo, nunca foram consideradas bonitas. Já chegou a hora de parar com isso. Eu quero que as crianças olhem para mim e vejam seus rostos refletidos no meu”, declara Zozibini.

Durante a competição, as candidatas precisam responder a uma série de perguntas. Quando questionada sobre qual a coisa mais importante que as mulheres podem aprender nos dias de hoje, Zozibini surpreendeu a todos. “Liderança. É algo que falta às mulheres e mulheres jovens há muito tempo. Não porque elas não a desejavam, mas por causa de como a sociedade rotulou como elas deveriam ser”, afirma.


Nas redes sociais, a nova Miss Universo fez uma declaração encorajando todas as mulheres a acreditarem em si.
“Esta noite uma porta foi aberta e eu não poderia estar mais agradecida por ter sido a pessoa que a atravessou. Que toda garotinha que testemunhou esse momento acredite para sempre no poder de seus sonhos e que eles possam ver seus rostos refletidos no meu. Eu orgulhosamente declaro meu nome Zozibini Tunzi, Miss Universo 2019!”
Tecnologia do Blogger.