Homem é preso após torturar e manter namorada em cárcere privado e enviar vídeos das agressões à ex

Foto: Divulgação

Um tatuador de 37 anos foi preso por torturar e manter em cárcere privado a namorada, de 22 anos, em Ceilândia, no Distrito Federal. Segundo investigação da Polícia Civil, as agressões iniciaram no Natal, 24 de dezembro.
Em depoimento à Polícia, a mulher afirmou que era agredida com diversos objetos, como barra de ferro, faca e cadeira. Ela afirmou que podia sair no início para trabalhar, mas era ameaçada de morte:
Segundo o delegado do caso, Gutemberg Morais, colegas de trabalho notaram hematomas no corpo da vítima, que alegou ter caído em casa. Em entrevista à GloboNews, uma vizinha, que preferiu não se identificar, afirmou que há 2 meses atrás a vítima morava com uma amiga, que foi embora e o namorado chegou.
O tatuador filmava as agressões e encaminhou alguns vídeos à ex-namorada, que afirma que nunca foi agredida por ele. Esta ex-namorada foi quem denunciou as agressões Polícia. Segundo ela, o tatuador é usuário de drogas.
O agressor já tinha passagem pela polícia por roubo, extorsão, mediante sequestro e homicídio.
Tecnologia do Blogger.