Francisco segue dando trela para comunistas criminosos, envergonhando a Igreja e enfurecendo fiéis

Nesta quinta-feira, 13, aconteceu o encontro entre o ex-presidiário, Lula, e o líder da igreja católica, Papa Francisco. O encontro aconteceu às 12h.
A reunião foi intermediada pelo presidente da Argentina, Alberto Fernandez, que no final de janeiro foi à Roma, na Itália, visitar seu conterrâneo e conversou sobre a possibilidade de um encontro entre Francisco e Lula.
O Papa argentino aceitou imediatamente e sua equipe entrou em contato com Lula para marcar o encontro.
A visita do petista à Roma cria várias intrigas que pairam sobre os pensamentos de milhões de brasileiros. Primeiro deles é: qual o interesse do Papa com o ex-detento?
Francisco, já atacou Jair Bolsonaro diversas vezes e deixou externado seu descontentamento com o atual presidente do Brasil.
Recentemente, o papa classificou como "injustiça e crime" o suposto desmonte da agenda ambiental e citou a exploração mineral de terras indígenas e a legalização do garimpo, além de afirmar que ONGs internacionais deveriam continuar seus trabalhos na Amazônia.
Francisco parece ter esquecido o Decreto Contra o Comunismo, de 1949, promulgado pelo Papa Pio XII, que excomunga automaticamente qualquer pessoa que, assim como Lula, Evo Morales - com quem teve um encontro polêmico em 2015 - e Fernandez, propague "os ensinamentos materialistas e anti-cristãos do comunismo".
O youtuber católico, Bernardo Küster, conhecido por seus vídeos sobre a Igreja Romana já se manifestou sobre reunião do Papa com o corrupto petista. Nas redes sociais ele afirmou que em breve fará um vídeo sobre o caso.
Confia:
Muitas questões em aberto entre o Papa vermelho e um ex-presidiário.
Tecnologia do Blogger.