Câmaras frigoríficas voltam a ser instaladas em hospital de Manaus para armazenar corpos de vítimas da Covid-19

 Foto: Matheus Castro / G1 AM

 As câmaras frigoríficas, usadas para armazenar os corpos de mortos pela Covid-19 em hospitais de Manaus, durante o primeiro pico da doença no Amazonas, voltaram a ser instaladas no Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto nesta quinta-feira (31).

As estruturas foram montadas, pela primeira vez, em abril, após o colapso nos sistemas de saúde e funerário do estado. Até a quarta-feira (30), 5.258 mortes já foram registradas em decorrência da doença em todo o Amazonas.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-AM), enquanto estruturas permanentes para a alocação dos corpos estão sendo instaladas, o Governo vai colocar, preventivamente, estruturas temporárias para dar suporte aos hospitais no acondicionamento de corpos de pacientes que falecerem vítimas da doença.

A secretaria também confirmou que está prevista, para os próximos dias, a instalação de outras câmaras frias nos Hospitais João Lúcio e Platão Araújo.

Em nota, a SES informou que no Hospital 28 de Agosto, onde o necrotério já possui câmara mortuária, serão instaladas prateleiras para aumentar a capacidade de recebimento dos corpos. Nos outros dois hospitais, que não possuem câmara, a equipe de engenharia estuda a melhor forma para a implantação da estrutura permanente.

Abertura de novas sepulturas

A alta de casos de Covid-19 em Manaus também fez com que a prefeitura da cidade precisasse preparar novas áreas em cemitérios para enterrar os mortos vítimas da doença.

No Cemitério do Tarumã restam apenas mais 80 vagas para receber mortos pelo novo coronavírus – foi lá que aconteceram os enterros coletivos em valas durante o pico da doença, em abril e maio.

Nessa quarta-feira (30), agentes da prefeitura tiveram de preparar outra área no Cemitério do Tarumã para receber mortos por Covid. Nesse terreno serão disponibilizados outras 1.026.

*Com informações do G1

Tecnologia do Blogger.