Avança discussão do projeto que levará educação ambiental para as escolas de Serrinha

Material didático voltado à educação ambiental - Foto: ASCOM

 Nesta terça-feira (13), aconteceu a segunda reunião entre as Secretarias de Meio Ambiente e Educação para discutir o projeto que levará educação ambiental para as escolas (ver aqui).

Trabalhando juntas, as pastas elaborarão um material didático voltado para o ensino fundamental I e II com o intuito de fomentar a educação ambiental a partir de aulas expositivas e atividades práticas, seja na educação do campo ou nas escolas municipais.

O objetivo da reunião foi montar o cronograma, mostrar o material a ser utilizado no projeto, falar sobre possíveis alianças e apresentar a equipe que se juntará ao projeto.


“Esse projeto de educação ambiental vem trazer um conhecimento para crianças e adolescentes, uma vez que serão explanadas questões relativas à sustentabilidade ambiental no município, a exemplo de desmatamento, maus-tratos de animais, poluição e outras questões relacionadas ao meio ambiente. Esse material é muito importante para o município como um todo, pois vamos poder estimular as crianças e as famílias, não só da zona urbana, mas também da zona rural. Faremos atividades práticas, como: horta comunitária, plantação de mudas, reciclagem e coleta de esgoto sanitário na zona rural. Sobre isso, implantaremos a tecnologia de círculo bananeiras e demais questões que venham trazer evolução para Serrinha sobre questões ambientais”, disse Diego Tomaz, secretário de Meio Ambiente.

“Na primeira reunião, falamos sobre vários fatores relacionados ao meio ambiente. Nosso objetivo é preparar material para trabalhar com os alunos do fundamental I e II. Hoje, vamos apresentar para o secretário de Meio Ambiente alguns livros que temos no acervo da Secretaria de Educação. Nós trabalhávamos com esses livros na escola, contudo, devido às aulas remotas, optamos agora por deixar na casa dos alunos, para que eles continuem o trabalho, mesmo não estando na escola. Inclusive, esses livros são fruto de investimento de dinheiro público, devem, portanto, ser preservados", finalizou Natalli Soeiro, diretora pedagógica.

A ideia é que os alunos se tornem difusores desse conhecimento, levando informação a suas famílias e disseminando essas práticas para toda a população.



Fotos e informações: ASCOM / PMS

Tecnologia do Blogger.