Detentos passam por cirurgia para retirada de 26 minicelulares do estômago no interior de SP

 Revista com escâner corporal identificou material engolido pelos presos em Bauru (SP), mas que eles não conseguiram expelir. Um deles engoliu 18 aparelhos, além de invólucros com drogas.

Cirurgia retirou do estômago de um dos detentos 18 minicelulares engolidos — Foto: SAP/Divulgação

Dois detentos do Centro de Progressão Penitenciária (CPP-2) de Bauru (SP) precisaram ser submetidos a cirurgias para retirada de 26 minicelulares e invólucros de drogas que engoliram para levar à unidade no retorno de uma saída temporária. A unidade é do sistema semiaberto.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária, os dois presos retornavam da saída temporária na última segunda-feira (24), quando foram barrados após o escâner corporal detectar imagens suspeitas.

Ambos admitiram terem engolido objetos e foram isolados para observação na enfermaria da unidade para, espontaneamente, tentarem expelir os objetos.

Cirurgia também retirou vários invólucros com drogas dos estômagos dos detentos — Foto: SAP/Divulgação

Um dos sentenciados conseguiu expelir quatro minicelulares e quatro invólucros de maconha, mas afirmou ainda ter objetos dentro do corpo. Já o segundo detento não conseguiu expelir nenhum objeto.

Diante da situação, a direção do CPP encaminhou os dois para atendimento hospitalar, onde foi identificada a necessidade de intervenção cirúrgica para retirada dos objetos.

O preso que havia expelido parte do material teve retirados mais quatro minicelulares de seu corpo. O outro detento teve extraído 18 minicelulares e quatro invólucros, três deles contendo maconha e o último com 50 micropontos de K4, droga popularmente conhecida como maconha sintética.

Um deles recebeu alta neste domingo (30) e o outro continua internado.

Minicelulares têm o tamanho de uma tampa de caneta; detentos também engoliram invólucros com maconha e K4 — Foto: SAP/Divulgação

Diante da situação, a direção do CPP encaminhou os dois para atendimento hospitalar, onde foi identificada a necessidade de intervenção cirúrgica para retirada dos objetos.

O preso que havia expelido parte do material teve retirados mais quatro minicelulares de seu corpo. O outro detento teve extraído 18 minicelulares e quatro invólucros, três deles contendo maconha e o último com 50 micropontos de K4, droga popularmente conhecida como maconha sintética.

Um deles recebeu alta neste domingo (30) e o outro continua internado.

Fonte: G1

Tecnologia do Blogger.