Andar de bicicleta reduz risco de depressão

Foto: Reprodução/Bike Show

 bicicleta, inventada há mais de 500 anos, ainda é uma das grandes aliadas da saúde. Ela veio para facilitar a vida do homem.  Pedalar melhora o condicionamento físico, ajuda a combater o estresse e previne doenças como depressão, hipertensão, colesterol alto, enfarte, entre outras. O exercício também é o mais recomendado para quem não tem condicionamento físico. 

 A bicicleta exige pouca capacidade coordenativa e não necessita de muito condicionamento, então é ideal para quem está começando. A atividade é uma forte arma na luta contra o excesso de peso. 
 
 É um exercício que pode ser praticado por qualquer pessoa, já que não oferece impacto, pois a atividade não trabalha apenas membros inferiores, já que os superiores são responsáveis pelo equilíbrio e direção do corpo.
 
Pesquisas comprovam que pedalar durante 30 a 60 minutos, entre três e cinco dias por semana, pode reduzir em até 50% os riscos de depressão. Outros benefícios são o controle da pressão e o combate a doenças cardiovasculares.

Andar de bicicleta melhora também a pele, por deixar coração e pulmões fortalecidos, facilitando a eliminação de toxinas.
 
 O exercício aumenta a resistência e a capacidade de captar, extrair e distribuir oxigênio pelo sistema cardiovascular e regulariza os níveis de colesterol e triglicérides, além de melhorar até o sono. 

Avaliação médica em primeiro lugar
 
Para começar a praticar a atividade física não basta arrumar uma bicicleta. O primeiro passo é a avaliação médica. Tudo liberado, atenção ao ajuste correto do banco e do guidom.
 
 Para conseguir melhores resultados, a pessoa deve ajustar o banco da bicicleta na altura dos quadris e o guidom na altura do cotovelo. As pontas dos pés devem ser alinhadas com os joelhos e os ombros abertos.  A coluna deve ficar ereta e o abdômen, contraído.
 
Ao começar os exercícios, para os que não estão acostumados, há um período de adaptação que pode durar de dez a 12 semanas. Durante os primeiros dias, a pedalada deve durar cerca de 20 minutos, por três dias na semana. Depois de adaptado, o ciclista pode pedalar todos os dias, por 60 minutos.
 
Testes apontam que, em uma hora de pedaladas, é possível gastar entre 300 e 500 calorias, cerca de 30% a menos do que na esteira. Mas essa diferença pode ser compensada com a mudança de intensidade da pedalada. Em bicicletas tracionadas, basta aumentar a dificuldade no trajeto. Para aumentar a carga, suba uma ladeira.
 
Fonte: Extra Online
Tecnologia do Blogger.