Guedes fala de extensão do auxílio emergencial, mas assessoria corrige

Foto: Isac Nóbrega/PR

 O ministro da Economia, Paulo Guedes, na manhã desta 6ª feira (1°.out), disse que o auxílio emergencial seria extendido pelo ministro da Cidadania, João Roma (ver aqui). No entanto a assessoria de imprensa do Ministério da Economia corrigiu a declaração e explicou que o auxílio ao qual o ministro se refere é o Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família. 

pronunciamento de Guedes foi feito em uma cerimônia no Palácio do Planalto, e foi a primeira vez que o chefe da pasta sugeriu que o auxílio pudesse ser prorrogado. "O ministro Tarcísio (de Freitas, da Infraestrutura) vai vender mais 22 aeroportos. O ministro Rogério Marinho (do Desenvolvimento Regional) vai terminar as obras que ficaram inconcluídas. O ministro João Roma vai estender o auxílio emergencial. Nós somos um time remando pelo Brasil", ressaltou Guedes. O auxílio tem a sua última parcela prevista para ser liberada neste mês. 

No entanto, a assessoria do Ministério da Economia enviou uma nota corrigindo Guedes. Confira: 

"O Ministério da Economia esclarece que o governo quer estender a proteção aos cidadãos em situação de vulnerabilidade com o novo programa social Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família. No contexto de explicar de onde sairão os recursos para financiar essa expansão de gastos, o ministro Paulo Guedes citou a necessidade de aprovação da Reforma do Imposto de Renda e também da PEC dos precatórios no Congresso Nacional. Em sua fala durante o evento de comemoração dos 1.000 dias de governo no Palácio do Planalto, nesta sexta-feira (01/10), o ministro falou em "Auxílio Emergencial" em vez de "Auxílio Brasil".

Tecnologia do Blogger.