Padrasto mata bebê de 11 meses após choro em São Gonçalo dos Campos

Foto: Reprodução / Aldo Matos - Acorda Cidade

 Um homem foi preso apontado como principal suspeito pela morte do enteado de 11 meses, na noite de terça-feira (26), na cidade de São Gonçalo dos Campos, no Portal do Sertão. De acordo com o delegado responsável pelo caso, o homem teria dado um tapa na cabeça da criança para que o menino parasse de chorar.

Conforme divulgou o site Acorda Cidade, o acusado foi preso em flagrante e confessou que a criança estava dormindo, acordou e, na tentativa de que ela voltasse a dormir, lhe deu um tapa. Em entrevista ao site, o delegado José Luiz Lapa disse que uma médica que estava em serviço no posto de saúde do Conjunto Fraternidade, em Feira de Santana, onde a criança foi atendida, comunicou as autoridades do fato.

Agentes da Polícia Militar se dirigiram ao local para averiguar o fato e confirmaram a morte da criança. "Encontraram a mãe da criança que disse que deixou o bebê dormindo em casa em companhia do companheiro e se ausentou durante 15 minutos para levar alguns objetos na casa da mãe dela e ao voltar, encontrou a criança convulsionando. Ele disse que a criança apresentou alguma reação adversa em virtude de uma vacina que teria tomado ainda ontem pela manhã", explicou o delegado.
 
Ainda de acordo com Lapa. A PM se dirigiu até a residência e prendeu o rapaz. "Ele foi conduzido até a delegacia de São Gonçalo dos Campos. Durante o interrogatório ele confessou que a criança estaria dormindo e ao acordar, na tentativa que a criança voltasse a dormir, ele deu um tapa na criança”, disse.

Na casa onde o crime ocorreu, não foi encontrado nenhum tipo de objeto que pudesse ter causado a lesão e tudo indica que o golpe foi dado com as mãos. “Foi um golpe muito violento dado com as próprias mãos do autor”, declarou.

A mãe da criança disse que não tinha o costume de deixar o bebê sozinha com padrasto. “Eu não vi a hora que ele matou meu filho. Eu nunca sai para deixar meu filho só. Ele vendia drogas e eu também não sabia. Fui só levar o reboque com os materiais de reciclagem na casa de minha mãe. Eu quero justiça. Ele poderia ter feito isso comigo e não com um inocente”, disse ao site.
Tecnologia do Blogger.