Bolsonaro lamenta descriminalização do aborto na Colômbia: vidas "ceifadas com anuência do Estado"

Foto: Reprodução/Google

 O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou na terça-feira (22/2), por meio das redes sociais, a descriminalização do aborto feito até a 24ª semana na Colômbia. O chefe do Executivo disse que vidas inocentes estão agora "sujeitas a serem ceifadas com anuência do Estado no 6º mês de gestação".

O Tribunal Constitucional do país aprovou a mudança por cinco votos a quatro, em resposta a uma ação apresentada em 2020 pelo movimento Causa Justa, uma coalizão de 90 organizações. Antes, o aborto era punível com até quatro anos e meio de prisão no país, embora desde 2006 a interrupção voluntária da gravidez fosse permitida por três causas: estupro, malformação do feto ou risco à saúde da mãe, sem limite de tempo. As regras para esses três casos não mudarão com a decisão tomada na segunda (21).

"Que Deus olhe pelas vidas inocentes das crianças colombianas, agora sujeitas a serem ceifadas com anuência do Estado no ventre de suas mães até o 6° mês de gestação, sem a menor chance de defesa. No que depender de mim, lutarei até o fim para proteger a vida de nossas crianças!", escreveu Bolsonaro.


Em dezembro de 2020, quando a Argentina legalizou o aborto até a 14ª semana de gestação, Bolsonaro teceu comentário semelhante. "Lamento profundamente pelas vidas das crianças argentinas, agora sujeitas a serem ceifadas no ventre de suas mães com anuência do Estado. No que depender de mim e do meu governo, o aborto jamais será aprovado em nosso solo. Lutaremos sempre para proteger a vida dos inocentes", escreveu na data. 

Tecnologia do Blogger.