“Não sou candidato de uma facção religiosa”, diz Lula

 Em pesquisa Quaest divulgada na quarta-feira (17) mostra que, Jair Bolsonaro cresceu quatro pontos percentuais entre o eleitorado evangélico

Foto: Instituto Lula 

Na quarta-feira (17), o ex-presidente e candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva comentou sua desvantagem em relação a Jair Bolsonaro (PL) nas pesquisas de intenção de voto entre os evangélicos. O petista minimizou a preocupação com o tema e afirmou que não pretende “fazer guerra santa no país”. 

“Eu não sou candidato de uma facção religiosa. Eu sou candidato do povo brasileiro”, disse o ex-presidente em entrevista à rádio Super, de Minas Gerais.

De acordo com ele, o objetivo é tratar todos os fiéis de forma igualitária. “Eu não quero fazer uma guerra santa no país”, afirmou o petista.

Em pesquisa Quaest divulgada nesta quarta-feira (17) mostra que, Jair Bolsonaro cresceu quatro pontos percentuais entre o eleitorado evangélico, chegando a 52% das intenções de voto; Lula oscilou um ponto percentual para baixo, marcando 28%. O presidente, agora, abriu vantagem de 24 pontos sobre o petista.

Tecnologia do Blogger.