Vídeo: “Quer bater em mulher, vá para outro lugar”, diz Lula

Foto: Reprodução

 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à Presidência da República, deu uma declaração equivocada ao defender o fim da violência contra mulheres, em discurso no comício realizado no Vale do Anhangabaú, na cidade de São Paulo, neste sábado (20).

Ao se referir à Lei Maria da Penha, editada em 2006 durante o seu governo, o petista contou que, na época, ele dizia que “mão de homem foi feita para trabalhar, fazer carinho em quem ama, nos seus filhos, não para bater em mulher”. Na sequência, declarou que quem quiser bater em mulher, que “vá bater em outro lugar”, mas não dentro de casa ou no Brasil. “Nós não podemos mais aceitar isso. As pessoas precisam aprender a ser civilizadas”, completou.

“Eu tenho sempre orgulho de dizer que a minha mãe, a Dona Lindu, em 1956 teve coragem de largar do meu pai com 8 filhos na mão, sem ter onde morar. Fomos morar num barraco, mas ela falou: ‘Eu não moro com um homem que levanta a mão para mim’. E saiu de casa e criou 8 filho. É essas coisas que nós temos que aprender a fazer se quisermos melhorar o país. Nós fizemos a Lei Maria da Penha. Eu dizia ‘mão de homem foi feita para trabalhar, mão de homem foi feita para fazer carinho na pessoa que ele ama, nos filhos, mão de homem não foi feita para bater em mulher’. Quer bater em mulher, vá bater em outro lugar, mas não dentro da sua casa ou no Brasil porque nós não podemos mais aceitar isso. As pessoas precisam aprender a ser civilizadas.”

Antes, Lula afirmou que as mulheres ainda não são completamente respeitadas e que há crescimento dos índices de feminicídio e de violência de gênero. O petista citou também ter lido em reportagens que 72% das mulheres estão endividadas.

“E elas não estão endividadas porque compraram dólar, porque foram para Miami, Paris. Elas estão endividadas porque estão utilizando o cartão de crédito para comprar comida para os seus filhos”, disse.

Assista:

Tecnologia do Blogger.