Lula determina retomada de relações diplomáticas com Venezuela a partir de 1º de janeiro

 O gabinete de transição ainda tenta a liberação da entrada de Maduro no Brasil para a posse de Lula.

Foto: Reprodução

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva determinou que as relações diplomáticas do Brasil com a Venezuela sejam retomadas a partir de primeiro de janeiro de 2023, quando tomará posse no Palácio do Planalto, disse na quarta-feira (14) o embaixador Mauro Vieira, indicado para ser o chanceler do novo governo.

As relações diplomáticas foram rompidas pelo atual governo, do presidente Jair Bolsonaro, em 2020. Mesmo antes disso, em março de 2019, Bolsonaro assinou um decreto proibindo a entrada do alto escalão do governo de Nicolás Maduro no Brasil.

Segundo Vieira, já nos primeiros dias de janeiro o Itamaraty irá enviar a Caracas um encarregado de negócios para retomar a posse dos prédios da embaixada e da residência oficial do Brasil no país, e em seguida será indicado um embaixador. A nomeação de embaixadores precisa ser aprovada pelo Congresso.

Ao ser questionado se o próximo governo irá rever o reconhecimento de Juan Guaidó como presidente autodeclarado da Venezuela, o embaixador deixou claro que a embaixada é acreditada “junto ao governo eleito” – ou seja, o governo de Maduro.

O gabinete de transição ainda tenta a liberação da entrada de Maduro no Brasil para a posse de Lula. Apesar de não haver relações diplomáticas no momento, o presidente eleito instruiu seus assessores para convidar o venezuelano. No entanto, apesar das gestões feitas junto ao governo Bolsonaro para liberar a entrada de Maduro, os pedidos não tiveram sucesso.

Tecnologia do Blogger.