AGU vai pedir bloqueio de bens de mais de 100 empresas suspeitas de financiar ataques em Brasília

 O dinheiro das empresas teria sido destinado para bancar os ônibus que transportaram o grupo e para auxiliar os extremistas que permaneciam nos acampamentos.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Advocacia-Geral da União (AGU) já identificou mais de 100 empresas suspeitas de financiar a manifestação que aconteceu em Brasília, no último domingo (8). As instituições estão distribuídas por vários estados. Muitas estão sediadas nos estados de Mato Grosso e Santa Catarina.

O dinheiro das empresas foi destinado para bancar os ônibus que transportaram o grupo e para auxiliar os extremistas que permaneciam nos acampamentos em frente ao QG do Exército. 

A AGU vai apresentar, nesta terça-feira (10), o primeiro lote de ações contra essas empresas. Serão medidas cautelares junto à Justiça Federal no Distrito Federal para que sejam bloqueados os bens em nomes dessas instituições. A intenção é que o dinheiro seja utilizado para cobrir o prejuízo provocado à União.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou que a Polícia Federal já identificou financiadores em dez estados diferentes. De acordo com eles, muitas empresas são ligadas ao agronegócio.

Tecnologia do Blogger.