'Foi um terror', conta comerciante sobre ataque em igreja evangélica em Salvador

 Ataque aconteceu na noite da última terça-feira (3) e o suspeito precisou ser contido por pastores.

Foto: Wendel de Novais/CORREIO

O que era para ser mais um dia normal na Igreja Universal do bairro de Sussuarana Velha, em Salvador, se transformou em um cenário de horror no fim da tarde de terça-feira (3). Por volta das 16h30, um homem, que não foi identificado pela polícia, invadiu o templo com uma faca e golpeou três pessoas usando a arma.

Apesar de feridos, ninguém morreu e apenas uma pessoa precisou ser encaminhada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região. O suspeito, que foi contido por pastores e não se feriu durante a ação, foi conduzido por uma guarnição da Polícia Militar (PM) para a Central de Flagrantes para as primeiras diligências.

Um comerciante, que tem estabelecimento próximo ao templo evangélico, contou que ninguém viu o suspeito entrar com a faca na mão. A população só percebeu o que estava ocorrendo quando uma pessoa saiu desesperada por socorro. 

"Uma mulher saiu com a faca grande, daquelas de açougue com um cabo branco, na mão. Ela veio gritando desesperada por ajuda e a faca já toda cheia de sangue. Foi aí que o pessoal chamou a polícia e, quem estava por aqui, foi ver a situação", lembra ele, que prefere não se identificar. 

O comerciante que presenciou todo ocorrido conta que foram cenas assustadoras e que o responsável pelo ataque, além de morador do bairro de Sussuarana Velha, seria membro da igreja invadida.

"Foi um terror, mal consegui dormir depois de ver tudo aquilo ontem. A faca com sangue, o pessoal assustado. O cara é um membro da igreja, morador do bairro daqui de Sussuarana mesmo. O que ninguém sabe é porque ele fez isso", comenta. 

Os moradores contam que, no momento da ação, não estava acontecendo um culto. Por isso, poucas pessoas estavam no local. Os três feridos pelo suspeito seriam pastores da igreja, um deles identificado como Igor. A Igreja foi procurada para comentar a situação, mas não respondeu ou se manifestou até o fechamento desta matéria.

"Eu estava dentro de casa, só vi o comentário e fiquei assustada. Isso nunca aconteceu, eles só fazem orar aí. É uma igreja que movimenta bastante gente. Quase não acreditei quando falaram que entraram para matar o pastor". Maria de Fátima da Silva, dona de casa que mora em frente a igreja.

Tecnologia do Blogger.