Políticos americanos defendem extradição de Bolsonaro dos EUA após invasões em Brasília

 Congressistas dos EUA usaram redes sociais para apoiar extradição do ex-presidente brasileiro.

Foto: Reprodução/Google

Cinco congressistas americanos defenderam publicamente a extradição do ex-presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PL), dos Estados Unidos, após invasões em Brasília promovida pelos seus apoiadores, na tarde do domingo (8). As informações são do g1.

Para a extradição ocorrer, a pessoa processada, investigada ou condenada deve ser alvo de um pedido formal para o país que lhe abriga. O pedido pode ser feito pelo Ministério Público, que abre o processo para análise em conjunto com o Poder Executivo e às autoridades estrangeiras. 

O deputado democrata do Texas, Joaquin Castro, afirmou que Bolsonaro não pode se 'refugiar' na Flórida e se esconder dos crimes cometidos. "Bolsonaro não deve se refugiar na Flórida, onde está se escondendo da responsabilidade por seus crimes", escreveu nas redes. Já a deputada democrata por Nova York, Alexandria Ocasio-Cortez, relembrou o ataque ao Capitólio, no final de 2020, ao defender a extradição do ex-presidente brasileiro. "Quase dois anos depois que o Capitólio dos EUA foi atacado por fascistas, vemos movimentos fascistas no exterior tentando fazer o mesmo no Brasil. Devemos ser solidários com o governo democraticamente eleito de Lula", escreveu. Anna Eskamani, deputada democrata pela Flórida, questionou o governador Ron de Santis sobre a presença de Bolsonaro no estado. "Ron de Santis, por que você está dando refúgio para Jair Bolsonaro na Flórida? É porque você apoia os regimes fascistas de extrema direita que invadem capitólios?", escreveu. O deputado Mark Tatano (Democratas), da Califónia, disse que o episódio é um alerta para os movimentos facistas. "A violência antidemocrática no Brasil hoje é um lembrete preocupante dos perigosos movimentos fascistas que crescem em todo o mundo. Jair Bolsonaro não deveria ter permissão para se refugiar nos EUA", escreveu. Já a deputada democrata Ilhan Omar, do Minnesota, prestou solidariedade ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "As democracias de todo o mundo devem permanecer unidas para condenar este ataque à democracia. Bolsonaro não deveria se refugiar na Flórida", escreveu em uma publicação nas redes sociais.

Bolsonaro se manifesta 

O ex-presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais, ainda na noite do domingo, e afirmou que depredações e invasões de prédios públicos como ocorridos no dia de hoje, assim como os praticados pela esquerda em 2013 e 2017, fogem à regra". Bolsonaro está na Flórida desde a última semana, quando ainda estava no poder.

Tecnologia do Blogger.